Google+ Followers

Seguidores

sábado, 17 de janeiro de 2015

1º Trim. 2015 - JUNIORES - Lição 3: O Deus Bondoso

1º Trim. 2015 - JUNIORES - Lição 3: O Deus Bondoso
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
JUNIORES – CPAD
1º Trimestre 2015
Tema: Conhecendo a Deus
Comentarista: Susana Cirqueira


LIÇÃO 3 – O DEUS BONDOSO

Ao Mestre
Prezado (a) lição de hoje ministraremos sobre a Bondade de Deus e seu constante cuidar de cada pessoa. Ele nos ama de uma forma tão intensa que não possuímos palavras para expressar a extensão desse amor.

Que seus alunos compreendam que o Deus da Bíblia é o Criador eterno, imutável, onipotente, onisciente, onipresente, infalível, absoluto e soberano. É o Senhor do Universo que "amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele" (Jo 3.16,17).

Deus continue abençoando seu ministério.


Objetivo
Professor (a) ministre sua aula de forma que possa conduzir o aluno a crer que jamais estamos só. Deus sempre está conosco, não importa a dificuldade ou a periculosidade da situação, ou local onde nos encontrarmos – há um Deus fiel que jamais nos desampara. 


Memorizando
“Falarei da bondade do Senhor, dos seus gloriosos feitos, por tudo o que o Senhor fez por nós, sim, de quanto bem ele fez à nação de Israel, conforme a sua compaixão e a grandeza da sua bondade”. (Is. 63.7 – NVI)

A bondade de Deus permanece continuamente (Sl. 52.1). A bondade de Deus tem que ver com a perfeição da Sua natureza - Deus é luz, e não há nele trevas nenhuma (1 Jo. 1.5)


Texto Bíblico: Gn. 21.9-20.


Subsidio Teológico
Há uma tão absoluta perfeição na natureza e no ser de Deus que nada Lhe falta, nada Nele é defeituoso, e nada se Lhe pode acrescentar para melhorá-Lo, Ele é essencialmente bom. Bom em Si próprio, pois todas as criaturas só são boas pela participação e comunicação da parte de Deus.

Ele é essencialmente bom. Não somente bom, mas é a própria bondade. Em nós, a bondade é uma qualidade acrescentada, já em Deus, é Sua essência. Ele é infinitamente bom, em Deus há um oceano infinito ou um infinito ajuntamento de bondade. Ele é o eterno e imutável bem, porquanto Ele não pode ser menos bom do que é; como não se pode fazer nenhum acréscimo a Ele, assim também não se Lhe pode fazer nenhuma subtração - Deus é o Sumo Bem.

O significado saxônico original do vocábulo inglês. 'God' (Deus) é 'The Good'  (O Bom ou O Bem). Deus não é somente o maior de todos os seres, mas o melhor. Toda a bondade existente em qualquer criatura foi-lhe infundida pelo Criador, mas a bondade de Deus não é derivada, pois é a essência da Sua natureza eterna. Como Deus é infinito em poder desde toda a eternidade, desde antes de ter havido alguma demonstração desse poder, ou antes, de ter sido executado algum ato de onipotência, assim Ele eternamente é bom. Antes de haver qualquer comunicação da Sua generosidade, ou antes, de haver qualquer criatura à qual essa generosidade pudesse ser infundida ou exercida. Portanto, a primeira manifestação desta perfeição divina consistiu em dar existência a todas as coisas por Sua bondade.


A questão Agar na vida de Abraão
A historia de Agar começa quando ela servia Sara, esposa de Abraão, na terra de Canaã. Neste tempo, Abraão tinha oitenta e cinco anos de idade e Sara estava ficando preocupada por não ter concebido nenhum filho. Mesmo com essa problemática, Abraão buscou preencher o cumprimento da promessa de Deus e assim ele e Sara buscaram concretizar tal promessa. Sara então ofereceu  Agar a Abrão que gerasse nela o filho tão desejado.

Abraão sem consultar a Deus consentiu em coabitar com ela o que resultou na gravidez de Agar. Tal situação provocou um clima hostil entre Agar e Sara. Foi gerado Ismael o que fez Agar desprezar Sara, já que esta não podia conceber, e quando Sara concebeu milagrosamente a Isaque, Ismael passou a perseguir e humilhar seu meio-irmão. Devido a este fato, Sara incitou Abraão para que expulsasse Agar e Ismael.

Abraão ficou muito preocupado com as palavras de sua esposa e foi pedir o conselho de Deus. O Senhor disse a Abraão para não se preocupar e que ele fizesse o que sua esposa o havia dito, pois Isaque levaria à descendência de Abraão e que uma nação surgiria a partir de Ismael. (Gênesis 21:9-13)

Na manhã seguinte, Abraão chamou Agar e Ismael e deu a ela pão e água e a despediu. Os dois vagaram pelo deserto de Berseba até que a água de seu odre fosse totalmente consumida. Em um momento de desespero ela começou a chorar e seu filho chamou a Deus e após ouvi-lo, um anjo confirmou a Agar que de seu filho sairia uma grande nação. Um poço de água então apareceu o que salvou suas vidas. Agar encontrou uma esposa de sua terra nativa, a terra do Egito, para seu filho e eles habitaram no deserto de Parã.)

Agar teve sua experiência com Deus. Apesar de escrava, Deus demonstrou amor para com ela e com seu filho Ismael. Mesmo no deserto, ela foi amparada pelo Criador (Deus de Abrãao). Por duas vezes, ela foi surpreendida pelo anjo do Senhor que a ajudou dando-lhe água e também abençoando sua vida e descendência.


Aplicação da Lição
A bondade de Deus é o sustentáculo da confiança do cristão, é esta excelência de Deus que exerce mais atração sobre os nossos corações. Visto que a Sua bondade dura para sempre, jamais deveríamos ficar desanimados. “O Senhor é bom, uma fortaleza no dia da angústia, e conhece os que confiam nele” (Na.1.7). Quando outros nos maltratam, isso deveria somente estimular-nos a dar graças mais calorosamente ao Senhor, porque Ele é bom; e quando nós mesmos nos damos conta de que estamos longe de sermos bons, somente deveríamos bendizer com maior reverência Aquele que é bom, jamais deveríamos tolerar um instante de descrença na bondade, do Senhor; seja o que for que possa ser questionado, isto é absolutamente certo, que o Senhor é bom.


Fontes Consultadas:
·         BÍBLIA. Português. Bíblia Shedd. Tradução João Ferreira de Almeida, Revista e Atualizada. São Paulo, Edições Vida Nova, 1ª Edição, 1889.
·         BÍBLIA. Português. Nova Versão Internacional. São Paulo, Editora Geográfica, 9ª Edição, 2001.
·         HARRIS, R. Laird; JR, Gleason L. Archer; WALTKE, Bruce K.Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. São Paulo, Edições Vida Nova, 1ª Edição 1989, Reimpressão 2008.
·         ELWELL, Walter A. Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã. São Paulo, Reimpressão em 1 volume, 2009.

Colaboração para Portal Escola Dominical – Profª. Jaciara da Silva
 http://www.portalebd.org.br/classes/juniores.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário